SEF atrasou investigação e nunca identificou o alegado agressor. Inspetor suspeito de agressão sexual no aeroporto

21 out, 22:03

A mulher de 35 anos que denunciou um inspetor do SEF por agressão sexual relata, de forma pormenorizada, os crimes violentos que diz ter sofrido desde logo dentro de uma carrinha, durante um transporte no aeroporto. Era, por isso, crucial para a Polícia Judiciária perceber quem acompanhou aquela mulher até ao destino, onde os abusos terão continuado. Saber quem foi o condutor da carrinha. Mas o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras nunca o identificou, prejudicando com isso a investigação. 

País

Mais País

Mais Vistos

Patrocinados