"Se calhar não é uma derrota, por isso Putin não tem razão para mostrar uma moral mais baixa". Irina Golovanova analisa o discurso de líderes russos

10 nov, 17:12

Com base nas imagens que mostram o anúncio da retirada das tropas russas de Kherson, Irina Golovanova, especialista em linguagem não verbal, considera as palavras de Sergei Shoigu e Sergei Surovikin pouco espontâneas e ensaiadas. "Estamos a falar de um assunto muito importante, que é a retirada do exército russo, mas a conversa decorria como se estivessem a fazer uma lista de supermercado", explica, acrescentando que neste tipo de situações esperava-se "surpresa, raiva, medo ou tristeza". 

A especialista afirma ainda que a vontade manifestada pelos russos de protegerem os civis e os militares, é uma ideia que está a ser vendida ao próprio povo como uma parte da estratégia. "Porque é que é o ministro da Defesa que autoriza isto e não é o próprio presidente?", questiona. 

Em relação aos últimos discursos de Putin, Irina Golovanova observa um lado "mais descontraído" do presidente russo: "se calhar não é uma derrota, e por isso não tem razão para mostrar algum tipo de moral mais baixa".

Comentadores

Mais Comentadores

Mais Vistos

Patrocinados