Rússia pode atacar a Lituânia? "Acho muito pouco provável". A análise do major-general Isidro Morais Pereira

22 jun, 12:00

Kaliningrado é o novo foco de tensão entre a União Europeia e a Rússia. Os Estados Unidos defendem as sanções impostas pela Lituânia ao enclave russo e lembram que o artigo 5.º da NATO prevê que "qualquer ataque contra um país aliado é um ataque contra todos".

Mesmo assim, a Rússia afirmou, esta quarta-feira, que a resposta "não vai ser meramente diplomática". 

Questionado sobre se considera provável que a Rússia retalie militarmente, o major-general Isidro Morais Pereira, ex-representante militar na NATO, disse: "eu acho muito pouco provável". 

"Penso que será altamente improvável. Aliás, eu julgo que as declarações vindas dos Estados Unidos são preventivas, para relembrar à Rússia que os aliados estão dispostos a defender cada centímetro quadrado dos territórios que compõem a Aliança Atlântica", explicou. 

Na ótica do major-general, esta ameaça pode significar a "colocação de mais vetores nucleares próximos da fronteira com a Lituânia, por uma demonstração de força ou pela imposição de sanções de carácter económico". 

Europa

Mais Europa

Patrocinados