Rússia no Conselho de Segurança da ONU “é uma realidade em que a hipocrisia e a mentira continuam a ditar a lei nas relações internacionais”

2 abr, 10:45

José Filipe Pinto, especialista em Relações Internacionais e professor na Universidade Lusófona, considera que a liderança russa do Conselho de Segurança da ONU, que começou ontem, “é uma realidade em que a hipocrisia e a mentira continuam a ditar a lei nas relações internacionais”.

O especialista destaca que “este órgão foi criado para preservar a paz”, mas tece duras críticas à forma como é feito e composto. “Antes da invasão russa, entre os cinco membros permanentes, três deles já eram os três maiores exportadores de armas, o que significa manter a paz através do armamento”, ironiza.

A Rússia tomou conta da presidência do Conselho de Segurança da ONU, que é rotativa, mas José Filipe Pinto destaca que é “importante” perceber “o que é esta hipocrisia”, referindo-se a “um órgão destinado a preservar a paz ter os três maiores exportadores de armas e ter um invasor de outro país”.

Europa

Mais Europa

Patrocinados