"Queriam matar mais ucranianos só para festejar o Dia da Vitória em Mariupol"

8 mai 2022, 09:33

Pavlo Sadokha, presidente da Associação de Ucranianos em Portugal, afirma que os eventos antes das comemorações do dia 9 de maio, em que a Rússia celebra a vitória da União Soviética na II Guerra Mundial, "mostram mais uma vez a brutalidade de Putin e de todos os governantes russos".

Sadokha lembra que, no tempo dos seus pais, nascidos antes da guerra, o dia 9 de maio era um dia "que ninguém queria lembrar", devido às inúmeras vítimas provocadas pelo conflito, e explica que só 30 anos depois o Dia da Vitória passou a ser assinalado não para lembrar a tragédia, mas para mostrar o poderio militar soviético.

Europa

Mais Europa

Patrocinados