Portugal apresenta “um nível de pobreza energética muito elevado”

14 jan, 12:52

Nuno Henriques, professor universitário no ISEL - Instituto Superior De Engenharia De Lisboa, diz que o facto de 40% dos moradores de Lisboa dizerem sentir frio em casa, situação que é transversal a outras zonas do país, “é uma questão que não se resolve com um estalar de dedos” e que “tem muito a ver com deficiências do isolamento térmico das envolventes dos edifícios”.

Segundo os especialistas, todos os edifícios construídos antes da década de 90, isto é, antes da regulamentação que exige um maior isolamento térmico, “não estão pensados do ponto de vista do isolamento térmico e da eficiência energética”, dificultando o bem-estar dentro da habitação.

“Assistimos atualmente em Portugal a um nível de pobreza energética muito elevado, que se pode refletir na incapacidade de as famílias poderem aquecer as suas casas no inverno ou arrefecer as suas casas no verão”, diz, apresentando três motivos que podem ajudar a explicar o fenómeno: custo elevado da energia, rendimentos baixos das famílias e baixo desempenho energético dos edifícios.

País

Mais País

Patrocinados