"Pessoas idosas e normalmente pobres". Os que não conseguiram escapar à guerra na Ucrânia

24 mai, 12:39

António Correia de Campos diz que a primeira tarefa a ter em conta durante o conflito na Ucrânia passa por "reorganizar as populações". "É preciso saber quem é que está refugiado, quem é que está deslocado internamente e quem são as pessoas que lá ficaram". O ex-ministro da Saúde explica que as "pessoas idosas e normalmente pobres" terão ficado retidas no país. "Provavelmente, os refugiados pertencem à classe média de ativos e muitos outros à classe alta". 

Europa

Mais Europa

Patrocinados