Paulo Portas: "Enquanto houver guerra", não pode haver adesão da Ucrânia à União Europeia

22 mai, 22:18

Este sábado, o primeiro-ministro português António Costa esteve em Kiev com Zelenski: "É importante que haja uma fotografia que mostre que Portugal está do lado certo da escola, mas a adesão da Ucrânia à União Europeia é mais difícil do que parece", alerta o comentador da TVI, Paulo Portas. "Primeiro, porque a Ucrânia está em guerra, enquanto houver guerra e negociações do pós-guerra, a UE não pode ser colocada dentro do tabuleiro se não passa a fazer parte da guerra", diz. "Segundo, não há consenso" entre os países europeus.

"É evidente que tem de se encontrar uma solução, mas não é possível prometer que a Ucrânia vai entrar rapidamente na UE", afirma Portas. Há países que estão há anos à espera c(como a Sérvia, Montenegro, ou Turquia, que está à espera desde os anos 60 do século passado", recorda. E, depois, porque, sublinha Paulo Portas, "há progressos no estado de direito que a Ucrânia ainda não tinha conseguido fazer em tempos de paz, e agora será muito mais difícil".

Comentadores

Mais Comentadores

Patrocinados