Países africanos divididos na condenação à guerra na Ucrânia. Não são "antiocidentais", são "anti comportamentos de potências ocidentais", diz Fernando Jorge Cardoso

11 abr, 18:30

No dia em que decorre a reunião do Conselho de Segurança da ONU, Fernando Jorge Cardoso aborda o apoio, embora "muito minoritário", que África tem vindo a dar à Rússia. "Existe um grande ressentimento por parte das elites no que diz respeito à forma como os países africanos foram tratados no passado por alguns países ocidentais". Países esses que o professor da Universidade Autónoma de Lisboa considera terem "um protagonismo muito grande em tudo aquilo que se está a passar", como os EUA e a França. 

O especialista em relações internacionais explica ainda que a posição de abstenção ou de votos nulos de um número cada vez mais crescente de países africanos "é muito mais um posicionamento antiocidental do que pró-russo". "Não propriamente porque os africanos sejam antiocidentais, mas anti comportamentos de potências ocidentais".

Europa

Mais Europa

Patrocinados