Operação Vórtex: Câmara de Espinho ignorou queixas sobre varandas "ilegais" de prédio de luxo

Licenciada em Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia, com uma pós-graduação em Jornalismo. É jornalista na TVI desde 2014 e na CNN Portugal desde 2021. Começou na redação de Lisboa, mas em 2022 mudou-se para a redação do Porto.
16 jan, 20:24

Já são conhecidos alguns pormenores dos negócios suspeitos que levaram à detenção do ex-presidente da Câmara de Espinho, que está em prisão preventiva.

Miguel Reis terá ignorado as queixas dos moradores sobre um empreendimento de luxo do construtor Francisco Pessegueiro, que também está detido no âmbito do mesmo processo.

Os vizinhos queixaram-se que as varandas e os terraços eram ilegais mas foram ignorados.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Mais Vistos

Patrocinados