"O Ministério Público não tem uma única prova que ligue a Maria ao descaminho. Sou eu o responsável total"

22 nov, 20:05

O antigo presidente do Banco Privado Português afirma que o Ministério Público deteve a sua mulher porque não o conseguiu “apanhar” a ele.

A partir de local incerto, e em conversa exclusiva com a CNN Portugal, João Rendeiro diz que não existe “uma única prova que ligue Maria [de Jesus Rendeiro] ao descaminho”.

“Parece-me claro que, a Justiça, não me podendo apanhar a mim, apanhou a Maria”, afirmou.

De resto, o ex-banqueiro afirma-se mesmo como o “responsável total” sobre qualquer matéria relacionada com o alegado descaminho, situação que ocorre na sequência da venda e da suposta falsificação das obras de arte.

Numa longa entrevista, coloca de parte um regresso a Portugal, e afirma inclusive que a detenção da mulher não o demoverá dessa intenção.

Namorados desde os 17 anos e casados há 49 anos, o casal está agora separado. João Rendeiro diz que a mulher não quis sair com ele do país, lembrando os “três amores” de Maria de Jesus Rendeiro, referindo-se às três cadelas.

País

Mais País