"Nem na Venezuela nem em Cuba"? O debate entre a "ideologia" de Rodrigues dos Santos e os "valores" de António Costa em três minutos

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Fernando Pessoa, no Porto. Depois de três anos como repórter multimédia no Jornal de Notícias deixou a cidade onde nasceu para trás, iniciando uma desafiante viagem até ao centro-sul do país, onde pretende dar continuidade ao seu trabalho. Aos 26 anos procura inserir a sua marca no universo digital da CNN portuguesa. Mulher de causas, usa a voz para combater a desinformação e o inconformismo, e conta com a ajuda de dois braços direitos: a caneta e a câmara de filmar.
10 jan, 01:54

Foram dois modelos de sociedade opostos em discussão no debate entre António Costa e Francisco Rodrigues dos Santos. O centrista defende a "liberdade" dos cidadãos para escolherem entre serviços públicos ou privados de saúde e educação enquanto o socialista prefere apostar num serviço público de qualidade e de acesso livre para todos.

Foi invocando também o valor da liberdade que Rodrigues dos Santos exclamou que "nem na Vezenuela nem em Cuba" se encontra um regime que obrigue os alunos a frequentar uma disciplina como a de Educação Cívica. António Costa defendeu a disciplina como sendo "tão importante como as outras disciplinas", cumprindo o dever da escola de formar cidadãos.

VEJA MAIS:

Decisão 22

Mais Decisão 22

Patrocinados