"Na pior das hipóteses, não fazem o curso nesta universidade". Professora da FDUL diz que "assédio moral está enraizado"

19 abr, 23:14

As denúncias públicas das duas últimas semanas associadas à Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa quebraram um tabu relacionado com o assédio moral e sexual e os atos de discriminação no Ensino Superior público. 

"O assédio moral já estava enraizado no modo de funcionamento da Faculdade de Direito. A ideia de que, para se ser um professor exigente, tem que ser um professor duro que usa táticas humilhatórias", disse à CNN Portugal Inês Ferreira Leite, professora da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, adiantando que "é a mesma cultura que se vive nos escritórios de advogados".

Na mesma entrevista, a docente disse que acredita que os alunos "têm medo exagerado", o que os impede de denunciar estes casos de assédio.

"Os alunos têm ainda um medo exagerado face aquilo que na realidade lhes pode acontecer. Na pior das hipóteses não fazem o curso nesta universidade, fazem noutra", continuou.

Educação

Mais Educação

Patrocinados