Menina que morreu em Setúbal estava referenciada como criança de risco. CPCJ diz que não é possível prever tudo

22 jun, 21:12

A menina de três anos que morreu, em Setúbal, estava referenciada pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, mas mesmo assim o caso acabou por ter o pior desfecho. A CPCJ diz que não é possível prever tudo e aponta o dedo ao sistema dizendo que a referenciação é apenas uma inscrição numa folha de papel.

País

Mais País

Patrocinados