Marcelo: "Apesar de tudo, a Rússia não quis ser muito drástica no tratamento de Portugal"

20 mai, 12:43

O Presidente da República reagiu esta sexta-feira à expulsão de cinco funcionários da embaixada portuguesa na Rússia.

"Foi paridade", justificou.

"Houve vários países que tomaram, em conjunto, uma decisão de sancionar a Rússia com a saída forçada de diplomatas e outro pessoa. De uma maneira geral, a resposta da Federação Russa foi paridade. Saíram 25, saem 25. Portugal foi dos últimos países a ser atingido pela resposta russa", começou por referir Marcelo Rebelo de Sousa.

A Rússia não deixou de responder com sanções, mas não sei se não terá tido influência o facto do Secretário-geral das Nações Unidas ser português e de a Rússia achar que  embora Portugal esteja de um lado que não é o seu - querer, apesar de tudo, não ser muito drástica no tratamento que nos dá", rematou.

PR Marcelo

Mais PR Marcelo

Patrocinados