Juízes de Évora dizem que carícias feitas por professor nos mamilos de alunas não são crimes sexuais graves

Amílcar Matos
13 jun, 15:16

O Tribunal da Relação de Évora livrou o professor de um colégio de Setúbal da prisão efetiva a que tinha sido condenado por crimes sexuais com menores.

Os juízes consideraram que as carícias que fez a alunas de 7 anos, debaixo da roupa, não constituem um crime grave, mas apenas um comportamento desadequado.

O professor que tinha sido condenado a oito anos e meio de cadeia por 20 crimes de abuso sexual viu a sua pena ser reduzida a 4 anos e 7 meses de pena suspensa por 11 crimes de importunação sexual.

País

Mais País

Patrocinados