"Inadmissível" e "chocante". "Muito dinheiro para o lixo" deixou um Monumento Nacional neste estado

9 jan, 21:20

Era para custar quase 4 milhões de euros e demorar ano e meio a estar concluída, mas a renovação de um dos Torreões do Terreiro do Paço, um edifício ao lado de vários ministérios, começou em 2020 e foi suspensa ao fim de um mês.

Quase despercebida, no centro da capital, a obra esteve parada, para espanto inclusive do empreiteiro que agora quer ser indemnizado pela Câmara Municipal de Lisboa por um projeto desenhado no tempo da presidência do atual Ministro das Finanças, Fernando Medina.

Os trabalhos nunca mais recomeçaram e durante dois anos e meio o Torreão – símbolo da Baixa de Lisboa e da reconstrução pombalina – esteve sem qualquer cobertura. A última cobertura, instalada em 2016, tinha sido demolida durante as obras.

"Toda a gente sabe que o principal inimigo da construção, dos elementos decorativos, das estruturas, de certos materiais, é a água", desabafa, em declarações ao Exclusivo da TVI (do grupo da CNN Portugal), um dos maiores especialistas em construção pombalina, para quem aquele projeto nunca devia ter sido aprovado.

Governo

Mais Governo

Mais Vistos

Patrocinados