Ex-presidente da CMVM defende sanções à TAP: "A mentira ao supervisor e ao mercado devia ser criminalizada"

Licenciado em Ciências da Comunicação e pós-graduado em Jornalismo. Jornalista na TVI desde 2020 onde integrou as equipas de Investigação, Sociedade e Jornal das 8. Em 2022 recebeu o prémio de jornalismo 'Corações Capazes de Construir 2021' com a reportagem 'Menina do Papá' e o prémio 'Gazeta Revelação 2021' com o trabalho 'A Altura dos Sonhos'. Atualmente concilia o trabalho na editoria de Economia da TVI/CNN Portugal com a Grande Reportagem no 'Repórter TVI'. Carteira Profissional de Jornalista Nº 8118 A
8 jan, 22:23

O antigo presidente da CMVM, Carlos Tavares, considera que a TAP deveria ser sancionada por ter mentido ao supervisor sobre as verdadeiras razões da saída de Alexandra Reis com meio milhão de euros de indemnização.

Carlos Tavares refere-se à discrepância dos comunicados emitidos pela ex-secretária de Estado do Tesouro, que alegou ter saído da TAP por iniciativa própria, e o comunicado emitido mais tarde, pela companhia aérea, a garantir que Alexandra Reis abandonou a administração por iniciativa da TAP. 

O ex-presidente da CMVM diz que ficou muito claro que houve uma mentira.

País

Mais País

Mais Vistos

Patrocinados