Eutanásia: "Vivemos numa democracia indireta (...) e eu acho que devemos referendar questões mais locais"

7 dez 2022, 23:19

Texto de substituição da lei sobre morte medicamente assistida foi esta quarta-feira aprovado na especialidade com votos contra PCP e Chega, abstenção do PSD e votos a favor dos restantes partidos com representação parlamentar.

No CrossFire desta quarta-feira, Álvaro Beleza disse não ser defensor de um referendo porque "vivemos numa democracia indireta em que esta matéria é muito complexa (...) e eu acho que devemos referendar questões mais locais".

Opinião

Mais Opinião

Patrocinados