“Estamos numa batalha intensa, é normal que dirijam a ação de fogo para as reservas”

Especialista em assuntos de segurança
14 jan, 10:10

O major-general Agostinho Costa considera que “está a decorrer uma batalha bastante significativa” em território ucraniano, sobretudo após os ataques da manhã deste sábado a Kiev, junto “à frente de batalha”, a Kharkiv e aos recentes e violentos combates em Soledar e Bakhmut.

“Estamos numa batalha intensa, é normal que parte a parte, tanto os ucranianos como os russos, dirijam a ação de fogo não só para a frente de batalha, mas para as reservas, para as linhas de comunicações, para a retaguarda, para os sistemas de comunicações”, diz, dando como exemplo o estrago numa infraestrutura crítica na capital após os ataques russos.

Sobre as declarações de Yevgeny Prigozhin, líder do grupo Wagner, o major-general defende que é uma forma de “capitalizar internamente, porque continua a recrutar” mais russos para a frente de combate. 

Europa

Mais Europa

Patrocinados