Estado gasta mais de um milhão de euros em arrendamento e obras de edifício que deixa ao abandono

23 jan, 21:20

Todos os meses o Estado paga 3.850 euros pelo aluguer de um edifício que está abandonado há anos. Em causa um espaço em pleno Parque Natural de Sintra-Cascais onde até o mato cresce à volta sem qualquer controlo, agravando o risco de incêndio, para espanto (e receio) de quem vive por perto. "Está tudo destruído e num abandono total", desabafa uma moradora de Almoçageme. O edifício foi alugado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) em 2017 a uma ordem religiosa para construir um centro de instalação temporária para os estrangeiros que chegam a Portugal de forma irregular. As obras pararam em 2019 na sequência de queixas em tribunal de uma associação de moradores e de um outro processo judicial interposto pelo empreiteiro que se queixava de obras não previstas no contrato. Os trabalhos, como confirmou no local a reportagem do Exclusivo da TVI (do grupo da CNN Portugal) ficaram literalmente a meio e os documentos consultados revelam que ainda custaram ao Estado cerca de 180 mil euros.   O edifício está hoje sujeito ao vandalismo e apenas protegido por um pequeno muro. Nas paredes, lá dentro, há graffitis que sublinham o evidente: "Isto é tudo nosso".   Fazendo as contas, em seis anos de aluguer já foram gastos perto de 277 mil euros e ainda faltam mais quatros anos de contrato de arrendamento (outros 184 mil euros).   No final, o senhorio confirma à TVI que o Estado vai ter de devolver o edifício nas condições em que estava antes. Fonte conhecedora das obras e do espaço adianta que os contribuintes terão de gastar pelo menos mais um milhão de euros.  

País

Mais País

Mais Vistos

Patrocinados