Está o TikTok a favorecer a guerra? Estudos citados por Paulo Portas mostram que sim

8 mai, 23:21

Outro dos alertas deixados por Paulo Portas no “Global” deste domingo está relacionado com o consumo de conteúdos sobre a guerra na rede social TikTok, frequentada sobretudo por jovens. Segundo o comentador, que cita estudos internacionais, “a plataforma em que os russos conseguem maior penetração de conteúdos é o TikTok”, com o algoritmo a favorecer o conflito, já que mais de 90% dos vídeos favoráveis à guerra.

Europa

Mais Europa

Patrocinados