Entre ligar o 112 e receber ajuda pode ser preciso esperar uma hora. Situação é mais crítica na região de Lisboa

24 out, 16:48

São cada vez mais recorrentes os atrasos no socorro pré-hospitalar. A denúncia é feita pelo sindicato dos técnicos do INEM e pela Liga dos Bombeiros Portugueses que já pediu uma auditoria. 

Entre janeiro e agosto deste ano, dos mais de 930 mil pedidos de ajuda, mais de mil demoraram uma a duas horas a chegar ao local. 

A situação mais crítica é na área metropolitana de Lisboa, nomeadamente quando há urgências fechadas. 

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados