“É fundamental que o primeiro-ministro diga que sim a Pizarro e a Fernando Araújo”

6 nov, 12:49

Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos, reconhece que, “neste momento, estaríamos à espera que o Ministério da Saúde já tivesse desenvolvido um plano de emergência no SNS”, uma vez que “as notícias são mais evidentes” do caos que existe, dando como exemplo o número elevado de portugueses sem médico de família, os tempos de espera para cirurgias e consultas, os constrangimentos nos serviços de urgência.

Mas o sindicalista diz que “independemente de Fernando Araújo pode dizer que não” ao governo, “era fundamental que o primeiro-ministro dissesse que sim, quer a Manuel Pizarro ou a Fernando Araújo”.

“A questão essencial aqui é criar condições”.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados