Detenção de Manuel Pinho: "Ou há novos indícios ou há um excesso de virilidade da justiça"

14 dez 2021, 21:46

Relativamente à detenção de Manuel Pinho, Pedro Santos Guerreiro, diretor executivo da CNN Portugal, considera que “é sempre essencial em todos os processos judiciais a questão da proporcionalidade, da prova e dos indícios”.

De acordo com o jornalista, “ou existem novos indícios (…) ou então é difícil compreender” a detenção de alguém que, “ao longo destes anos, nunca demonstrou nenhum sinal de não comparência perante o tribunal”.

“Independentemente da opinião que possamos ter, e a minha opinião não é boa sobre estes casos que descrevi, A justiça tem sempre que respeitar direitos, liberdades e garantias e a supressão da liberdade ainda que temporária é sempre uma violência extrema, prevista muito excecionalmente na Constituição”, disse. 

Manuel Pinho, ex-ministro da Economia, foi detido esta manhã por ser suspeito dos crimes de corrupção e branqueamento de capitais no caso EDP.

O ex-político já tinha sido ouvido no âmbito deste processo, mas só agora foi detido, depois do juiz Carlos Alexandre ter assumido o processo. A defesa fala em "abuso de poder" por parte do Ministério Público.

A CNN Portugal sabe que Manuel Pinho vai passar a noite de terça para quarta-feira na PSP de Moscavide. A mulher, Alexandra Pinho, saiu em liberdade com termo de identidade e residência.

País

Mais País

Patrocinados