De Braga a Setúbal, há mais serviços de obstetrícia que não conseguem receber grávidas

11 jun, 10:00

Este sábado, os hospitais de Setúbal, Barreiro e Almada não vão receber grávidas durante, pelo menos, o período noturno e na segunda-feira, dia 13, a lista estende-se ao Hospital Amadora-Sintra e ao Hospital São Francisco Xavier, ambos em Lisboa. 

Amanhã será o Hospital de Braga a não abrir portas durante o dia, não havendo médicos suficientes para assegurar as escalas: em vez de cinco médicos obstetras, estarão apenas disponíveis dois para cumprir uma escala de 24 horas.

De hoje até segunda-feira, haverá ainda constrangimentos no Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, no Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, e no Centro Hospitalar de Setúbal, que apresenta constrangimentos já este sábado.

A denúncia é do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), que diz que “o ministério da Saúde teima em dizer que não tem aqui um problema”. O sindicato acusa a tutela de obrigar os médicos a fazerem escalas abaixo do mínimo e de não fazer nada para contratar obstetras. 

De acordo com o SIM, durante estes dias, as orientações do centro de orientação de doentes são de apenas encaminhar grávidas para a Maternidade Alfredo da Costa ou para o Hospital Santa Maria, os dois em Lisboa, porque há cada vez menos investimento e por consequência menos obstetras.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados