Criança tem AVC e perde quase 1500 euros em apoios sociais por causa da pandemia

Jornalista de economia da TVI e TVI24.pt desde outubro de 2013.

Foi Editora da Agência Financeira e comentadora da TVI e TVI24 entre 2006 e 2013, onde alimentava a secção de economia da tvi24.pt e Push by IOL.

Licenciou-se em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa.

Realizou estágio na Agência Financeira em 2001, passando a integrar a redação como jornalista no final desse ano. Escreveu sobre empresas, mercados, macroeconomia, impostos e finanças pessoais.

Ao longo dos anos colaborou com várias rádios (Rádio Capital, Rádio Mais, Antena 1, Rádio Clube Português e Rádio Renascença) para comentários de mercados, finanças pessoais e temas económicos.

Colaborou também com os jornais «O Independente» e «Metro», tendo integrado a equipa que fundou o jornal online «Diário Financeiro», que chegou a editar.
29 out, 21:38

Uma criança que teve um AVC aos seis anos de idade perdeu quase 1.500 euros em apoios sociais nos últimos três anos, devido aos atrasos provocados pelo combate à covid-19 no Serviço Nacional de Saúde.

Diana esperou um ano e nove meses por uma junta médica e por um documento fundamental para poder receber a prestação social para a inclusão.

A primeira prestação só chegou 26 meses depois do pedido.

Apesar de ter perdido 1500 euros aos quais tem direito, a Segurança Social considera que a criança, agora com 9 anos, não tem direito a receber os retroativos. 

País

Mais País

Patrocinados