BES Angola. Estado português poderá ficar com quase 30% da SAD do Sporting

25 jul, 22:02

Se a acusação do Ministério Público for confirmada pelos tribunais, tudo vai depender dos bens que Álvaro Sobrinho tenha para responder perante o Estado português. 

O processo da alegada burla milionária ao BES Angola poderá levar o Estado português a ficar com 29,8% das acções da SAD do Sporting. 

A hipótese é admitida por juristas ouvidos pela CNN Portugal na sequência da acusação revelada na última semana contra Álvaro Sobrinho, na qual o antigo presidente da filial do BES naquele país africano é acusado de ter desviado 15 milhões de euros do banco em Angola para ajudar o Sporting em 2011 e 2012. 

A acusação defende que, "com o propósito de ajudar o clube de futebol, Álvaro Sobrinho consumiu os fundos existentes na conta do BES Angola apropriando-se dos mesmos como se lhe pertencessem", acrescentando que "pelos factos imputados (utilização de liquidez cedida ao BES Angola em benefício do Sporting) deverá ser declarado perdido a favor do Estado o valor de 15 milhões de euros e condenado no seu pagamento o arguido Álvaro Sobrinho".

Como é público, em 2014 as dívidas da SAD do Sporting à empresa Holdimo, liderada por Álvaro Sobrinho, foram convertidas em acções que ainda hoje representam 29,8% do capital da SAD.

Segundo o último relatório e contas, além da Sporting, SGPS, a Holdimo é mesmo a maior accionista da SAD do Sporting.

A hipótese das acções reverterem para o Estado não está, contudo, directamente relacionada com os empréstimos feitos ao Sporting que segundo o Ministério Público são apenas uma pequena parte dos cerca de 5 mil milhões de euros de vantagens alegadamente obtidas de forma ilegal por Álvaro Sobrinho e que deveriam, segundo a acusação, ser declaradas perdidas a favor do Estado. 

As acções da SAD leonina são um entre vários vários bens de Sobrinho que poderão reverter para o Estado português e tudo vai depender dos bens que este tenha para reverter a favor do Estado, caso os tribunais dêem razão ao Ministério Público. 

A CNN Portugal sabe que o antigo presidente do BES Angola tentou já este ano vender as acções que detém ao Sporting, mas o negócio não avançou. O valor oferecido pelo presidente leonino, Frederico Varandas, para comprar as acções, ficou abaixo do objectivo de Álvaro Sobrinho.

Henrique Machado

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados