“Aqui é a cela de tortura onde punham as pessoas locais”. O legado traumático dos russos nas zonas libertadas pela Ucrânia

Jornalista na secção de Internacional da TVI desde Novembro de 2012. Trabalhou na tvi24.pt e na editoria Newsdesk da estação desde a abertura do canal. Esteve no jornal electrónico Portugal Diário de 2006 a 2009, depois de dois anos e meio no jornal Público, onde estagiou e foi jornalista nas secções Público.pt e Desporto. Em 2008, ganhou o primeiro prémio em Videojornalismo do Observatório de Ciberjornalismo da Universidade do Porto, com o repórter de imagem Paulo Sampaio. Frequentou o curso de Teologia na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, entre 1996 e 1999. Em 2004, licenciou-se na mesma universidade em Comunicação Social e Cultural.



19 set, 16:42

A segunda maior central nuclear da Ucrânia, localizada na região de Mykolaiv, foi atacada. A explosão ocorreu a cerca de 300 metros dos reatores, que não sofreram danos.  

Mais a nordeste, em Kharkiv, as forças ucranianas continuam a recuperar terreno. Nas zonas agora recuperadas, o trauma e a incerteza perduram. Imagens que chegam de certos locais mostram celas improvisadas, onde os detidos pelos russos dormiam e eram torturados.  

Europa

Mais Europa

Patrocinados