"Aperto de mão entre estes dois homens faz soar as campainhas vermelhas não só no Ocidente mas sobretudo no Oriente"

18 jun, 21:06

Com esta viagem à Coreia do Norte, Vladimir Putin "quer mostrar que também tem uma rede de aliados e que, apesar do mandado internacional de captura, consegue viajar. E logo a seguir irá ao Vietname", explica Tiago André Lopes, especialista em assuntos internacionais.

"Por outro lado há a ideia da renovação do acordo de 61", assinado na altura entre a Coreia do Norte e a URSS, e no qual a Rússia ficou comprometida com a unificação das Coreias. "O aperto de mão entre estes dois homens faz soar as campainhas vermelhas não só no Ocidente mas sobretudo no Oriente", considera.

Por outro lado, diz Tiago André Lopes, "há aqui a intenção de criar uma coligação triangular - Coreia do Norte, Rússia, China - para contrapor à coligação entre os EUA, o Japão e as Filipinas". "A
a emergência destes triângulos é preocupante", avisa, pois deixa claro que há a potencialidade de um conflito.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados