António Costa: "Este Orçamento mantém as prioridades que apresentamos no final de 2021"

13 abr, 07:00

António Costa apresenta esta quarta-feira à Assembleia da República um Orçamento do Estado “dirigido à classe média, centrado nos jovens e amigo do investimento”.

“Este é um orçamento dirigido à classe média, centrado nos jovens e amigo do investimento”, afirma António Costa, dando dois exemplos. “Vamos aumentar até ao triplo as bolsas para os jovens que pretendem fazer os seus mestrados e reduzir os impostos para aqueles que já iniciaram a vida ativa, alargando o IRS jovem”.

Quanto às famílias, o Orçamento prevê “reduzir os impostos sobre a classe média por via do desdobramento dos escalões de IRS e isentar mais 170 mil famílias com menores rendimentos de pagar IRS”.

O chefe do Executivo adianta que está ainda contemplado um reforço aos “apoios à infância” com o “início da gratuidade geral das creches, começando pelas crianças do primeiro ano”. Costa fala também da “criação da garantia infantil”, uma medida que, assegura, “permitirá retirar 120 mil crianças da situação de pobreza extrema”. 

Face à invasão da Rússia à Ucrânia e às consequências diretas e indiretas que o conflito tem na vida das pessoas e na economia dos países, incluindo Portugal, o governo de António Costa incluiu o tema no Orçamento do Estado com o objetivo de fazer frente à inflação e à crise.

“A guerra na Ucrânia exige-nos também novas respostas. A proposta de Orçamento do Estado permite financiar o conjunto de medidas que adotamos para mitigar o aumento dos preços dos bens energéticos e agroalimentares e conter a inflação”, diz António Costa, que adianta que “entre descida de impostos e subvenções, a proposta de Orçamento prevê mais de mil e duzentos milhões de euros de apoios à empresas e às famílias para fazer face à crise aberta com a guerra na Ucrânia”.

Para António Costa, “este é, portanto, um Orçamento de respostas concretas e que nos faz avançar” e “ajustado à nova conjuntura”. “É um Orçamento onde todos cabem e onde todos contam”, conclui.

Governo

Mais Governo

Patrocinados