Acusações de racismo e negligência. Ibrahima esteve 54 dias internado no Hospital de Santa Maria e acabou por morrer sozinho. O que aconteceu?

12 ago, 22:01

O Serviço Jesuítas para os Refugiados revela que há suspeitas de racismo e negligência na morte e no tratamento de um doente terminal, afirmando que o Hospital de Santa Maria se recusou a prestar declarações sobre o estado de Ibrahima ao longo dos 54 dias em que ele esteve internado. O homem, refugiado da Guiné, acabou por morrer quando estava a ser preparada a alta hospitalar e o corpo não foi colocado em refrigeração.

Foi já enviada uma queixa para a Comissão Contra o Racismo. O Hospital de Santa Maria, em Lisboa, diz que as acusações são infundadas.

País

Mais País

Patrocinados