77 anos depois da bomba atómica, Hiroshima ainda receia que história se repita

Correspondente em Tóquio
5 ago, 09:52

Enquanto os exercícios militares da China fazem escalar a tensão na região, o Japão prepara-se para a cerimónia anual que assinala o lançamento da primeira bomba atómica, que destruiu Hiroshima.  

A cidade ultima os pormenores para receber António Guterres, que deverá aproveitar a ocasião para voltar a apelar à redução e eliminação dos arsenais nucleares. 

Mas a história ainda está presente e o receio de que se repita também.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados