Mulher detida pela autoria de sete fogos em Viana do Castelo

Agência Lusa , CV
18 ago, 17:35
Incêndio em Abrantes (DR)

Graças à rápida intervenção dos bombeiros, os incêndios apenas "consumiram vegetação herbácea, arbustiva e arbórea”

Uma mulher, de 45 anos, foi detida pela alegada autoria de sete incêndios florestais, ocorridos em julho e em agosto de 2021 e de 2022, em Portela Susã, no concelho de Viana do Castelo, foi anunciado esta quinta-feira.

“Os vários locais onde os incêndios ocorreram situam-se numa zona onde existem condições de propagação a manchas florestais de grandes dimensões, gerando enorme risco, potencialmente alimentado pela carga combustível ali existente e pela orografia própria da região, o que se traduziu em elevadíssimo perigo concreto para as pessoas, para os seus bens patrimoniais e para o ambiente”, refere a Polícia Judiciária (PJ), em comunicado.

Segundo esta força de investigação criminal, “os incêndios consumiram vegetação herbácea, arbustiva e arbórea” e só não atingiram maiores proporções “devido à rápida e eficaz intervenção dos Bombeiros Sapadores e Voluntários de Viana do Castelo e Sapadores Florestais de Carvoeiro”.

“Os locais da freguesia onde ocorreram os incêndios são, recorrentemente e há vários anos a esta parte, alvo de ignições com natureza dolosa”, conta a PJ, acrescentando que o último incêndio registou-se em 12 de agosto.

A detida terá, de acordo com a investigação, “recorrido a chama direta para as respetivas ignições e atuou motivada por incendiarismo”.

“Regista já antecedentes policiais e criminais pela prática de crime de incêndio florestal, tendo sido condenada em pena de prisão, cuja execução se encontra suspensa”, lê-se no comunicado.

A PJ refere ainda que, comunicadas as ocorrências, realizou várias diligências “que resultaram na recolha de vasto acervo probatório e permitiram a identificação, localização e detenção fora de flagrante delito da arguida”.

A mulher vai ser esta quinta-feira presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação de medidas de coação.

A detenção esteve a cargo do Departamento de Investigação Criminal de Braga da PJ, com a colaboração do Grupo de Trabalho para a Redução de Ignições em Espaço Rural – Zona Norte.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados