Oito dicas de poupança para quem vai viajar em tempos de crise

CNN , Tim Leffel, CNN
6 nov, 16:00
Viagens

No momento em que começámos a sair de um longo período de confinamentos e restrições de entrada nos países, os preços mundiais do petróleo dispararam.

Isso afetou os voos por causa do combustível da aviação e o custo para encher o depósito dos carros para uma viagem pelas estradas.

Agora, as taxas de juros estão a subir no mundo inteiro para combater a inflação, e o mesmo acontece aos preços dos hotéis que subiram 10% ou mais em muitos dos destinos populares.

No entanto, esses efeitos não são sentidos da mesma forma em todo o lado, e as mudanças de moeda podem amplificá-los ou reduzi-los.

Se ganhar em dólares americanos, o mundo inteiro está em saldo. No entanto, se ganhar em ienes japoneses ou libras esterlinas, gastará mais do que gastaria há um ano na maioria dos lugares fora do seu país.

Porém, independentemente do que esteja a acontecer no mundo das macrofinanças, os viajantes experientes conseguem encontrar formas de viajar bem por menos, adaptando as suas estratégias.

Ao seguir estas dicas, ainda pode manter o seu orçamento de viagem controlado para aquelas tão necessárias férias.

Encontre uma ótima oferta de voo e depois escolha o destino

Aberto a novas experiências? Para poupar uns trocos, deixe que sejam as ofertas de voo a ditar o seu destino

Muitos turistas escolhem um destino que desejam visitar, sem fazerem muita pesquisa, e depois tentam encaixar os preços que encontram no orçamento que têm. Uma estratégia muito melhor é descobrir para onde são as ofertas de voos baratos e, depois, fazer de uma dessas opções o destino das férias.

Existem muitas empresas especializadas em encontrar ofertas, como a Scott's Cheap Flights e a Secret Flying. Estas ofertas exigem que aproveite as oportunidades temporárias. O que tem de fazer é pôr o seu aeroporto de partida no Google Flights, escolher uma data e deixar o destino em branco.

Surgirá um mapa do mundo com o preço inicial do voo para qualquer lugar do planeta. Depois, pode brincar com as datas ou escolher uma opção flexível para encontrar o período ideal para voar.

Ao escolher uma semana aleatória daqui a um mês, encontrei boas ofertas de ida e volta como de Denver para Miami por 314 dólares, de Londres para Marraquexe por 81 dólares e de Bombaim para Banguecoque por 263 dólares (praticamente o mesmo valor em euros).

Vá a um sítio com preços historicamente atraentes

Os europeus, que têm visto a sua moeda cair, ainda conseguem encontrar taxas mais baixas do que há um ano para vários destinos, incluindo o Laos.

Certos destinos em todo o mundo estão mais baratos do que nunca graças à desvalorização da sua moeda ou a outros problemas financeiros. Pode visitar Istambul e a Capadócia na Turquia, explorar a Patagónia e Buenos Aires na Argentina ou navegar no Nilo passando pelas ruínas antigas no Egito.

As poupanças serão ainda maiores para os norte-americanos numa lista mais ampla de países, mas os europeus que viram a sua moeda cair ainda poderão encontrar taxas mais baixas para viajantes do que há um ano nos países acima, além da Hungria e da Coreia do Sul. (Uma ótima maneira de avaliar isso é verificar o historial das taxas de câmbio em sites como o FXTOP.com.)

Mantenha as suas taxas no mínimo durante a viagem

Quando usar o seu cartão de crédito, recuse as ofertas para converter os preços para a sua moeda. Normalmente, obterá a melhor tarifa ao usar a moeda local.

Evite a “morte por 1000 cortes” que as instituições financeiras do mundo podem infligir quando usa um cartão de crédito ou de débito no estrangeiro.

Certifique-se de ter pelo menos um cartão de crédito que não tenha taxas de transação no estrangeiro e, de preferência, use um cartão de débito sem taxas de levantamento nas caixas MB.

Alguns cartões de débito até reembolsam as taxas locais. Outros fazem parte de redes internacionais onde os clientes podem usar caixas MB afiliadas, no estrangeiro, sem taxas duplas.

Na maioria dos casos, obterá o melhor preço se usar um cartão de crédito ou de débito na moeda local (rejeite todas as ofertas para converter os preços para a sua moeda).

Tenha em atenção que as regras são diferentes na Argentina, onde há uma "taxa azul" de rua para dólares ou euros que é muito mais vantajosa do que a taxa oficial.

Seja sensato no jogo dos hotéis e dos apartamentos de férias

As taxas adicionais podem elevar muito o custo de apartamento de férias.

Às vezes, os hotéis oferecem os melhores preços. Outras vezes, são as casas de férias. Portanto, pesquise muito.

As vantagens podem variar bastante de acordo com a localização e com o facto de precisar ou não realmente de uma cozinha.

Algumas cidades cobram muitas taxas nos arrendamentos e, em alguns países (como a Tailândia e o Vietname), pode ser mais barato comer fora todas as refeições do que cozinhar em casa.

Seja qual for a sua opção, preste muita atenção ao que os hóspedes anteriores têm a dizer, especialmente em serviços como o Airbnb e o Booking.com, onde apenas os clientes que se hospedaram nas propriedades podem deixar um comentário.

Investigue outros meios de transporte

Para economizar custos nos voos, pode ser mais barato voar para um país próximo e depois apanhar um comboio para o destino escolhido.

A proliferação de companhias aéreas low cost no mundo inteiro fez com que se tornasse muito mais barato apanhar um avião dentro de uma região, como o Sudeste Asiático e a Europa, ou dentro de um país com muita concorrência doméstica nos voos, como os Estados Unidos e o México.

Portanto, pode fazer sentido encontrar um voo de longa distância razoável para um lugar e depois escolher uma companhia aérea económica (ou na Europa um comboio) para o tal país para onde queria realmente ir.

Investigue bem em vez de aceitar a rota mais óbvia como se não tivesse alternativas.

Saia das zonas turísticas na hora de comer

Para comer mais barato, geralmente é melhor sair das zonas turísticas.

Se quiser comer o que os locais comem e pagar o que eles pagam, saia da área onde estão todos os turistas e comece a explorar.

Basta caminhar 15 minutos em qualquer direção ou apanhar um metro e sair algumas paragens depois para a diferença ser enorme, em qualquer cidade cheia de visitantes estrangeiros, de Praga a Veneza até Puerto Vallarta.

Provavelmente, gastará menos e desfrutará de refeições e experiências mais autênticas.

Coloque uma aplicação como o Google Tradutor no seu telefone e também poderá decifrar as ementas noutros idiomas.

Tente viajar fora da época alta

Lembre-se: nunca é época alta em todos os lugares ao mesmo tempo.

Evitar a época alta é mais fácil de dizer do que fazer, se falarmos de uma família que lida com horários escolares, mas nunca é época alta em todos os lugares ao mesmo tempo.

Para começar, as férias no Hemisfério Sul são numa época do ano diferente do Hemisfério Norte, e alguns destinos tropicais são mais parados no verão porque há mais chuva.

Destinos populares como o México, o Belize e a África do Sul são menos movimentados entre junho e setembro do que no primeiro trimestre do ano.

A época ideal em muitos lugares populares é a “estação intermédia”. É quando o clima ainda está agradável, mas ainda não há enchentes de pessoas, como maio nas Caraíbas ou outubro na Europa.

Entre no jogo de busca por voos e quartos gratuitos

Os cartões de crédito podem ajudá-lo a ganhar voos gratuitos e estadias em hotéis.

O que recebe quando paga coisas com o seu cartão de crédito?

A maioria das companhias aéreas e cadeias de hotéis tem um cartão de fidelidade da marca através da Mastercard, da Visa ou da Amex, que lhe permite ganhar o suficiente, apenas com a adesão, para obter um voo gratuito ou várias noites de hotel.

Depois, os pontos vão acumulando à medida que vai usando o cartão. Essas vantagens podem reduzir drasticamente o custo das férias, mesmo que gaste apenas o que costumava gastar ao pagar as contas e as despesas regulares com o cartão.

Os norte-americanos têm mais opções nesta área, mas os canadianos podem entrar em vários programas de companhias aéreas e hotéis através do Amex, do CIBC ou do Scotiabank.

Os europeus têm opções de cartões bancários com várias companhias aéreas, como a Iberia, a Aer Lingus, a Lufthansa e a Air France.

Os australianos têm acesso a cartões que acumulam pontos na Cathay Pacific, na Qantas e outras.

Embora a inflação, os preços dos combustíveis e as taxas de câmbio estejam sempre a variar, estas estratégias de poupança em viagem vão ajudá-lo a fugir quando tiver a oportunidade, sem estourar o seu orçamento a fazê-lo.

Relacionados

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados