O verão não é a sua época favorita do ano? Não está sozinho

CNN , Harry Enten
31 mai, 17:40
Várias pessoas tentam refrescar-se devido ao calor sufocante em agosto passado no Washington Square Park de Nova Iorque

Sim, o verão começa agora. Não sou eu que estou a dizê-lo. É o povo americano. Pesquisa após pesquisa descobriu-se que mais americanos acreditam que o Memorial Day (última segunda-feira de maio) marca o início não oficial do verão do que qualquer outra ocasião (por exemplo, o início da temporada de basebol ou quando as piscinas abrem).

Assim, à medida que o calendário passa do renascimento da primavera para o calor sufocante do verão nesta região do mundo, eis cinco estatísticas para marcar a ocasião:

1. O verão não é a época preferida do ano para a maioria das pessoas

Este surpreendeu-me um pouco. A maioria das pessoas prefere clima mais quente a mais frio, e eu sempre me lembro de o verão ser altura de tempos livres. No entanto, apenas 29% dos americanos disseram que o verão era a sua época favorita numa sondagem da CBS News de 2020. O outono (27%) e a primavera (25%) estavam no seio da margem de erro. Uma sondagem anterior da CBS News de 2013 tinha a primavera e o verão empatados em 33% como época preferida.

As sondagens muitas vezes não mostram nenhum dos meses meteorológicos de verão (junho, julho ou agosto) como preferidos dos americanos. Frequentemente, é maio, outubro ou dezembro.

Claro que há variações regionais. Os americanos no norte do país são muito mais propensos a considerar o verão como a sua estação preferida do que os do sul. Os sulistas são mais propensos a preferir a primavera.

Acho que os nova-iorquinos não gostam das frentes frias da primavera, enquanto os sulistas não gostam do calor sufocante do verão.

2. Vinte e dois graus centígrados geralmente é a temperatura certa

Uma maneira de lidar com o calor do verão é ligar o ar condicionado. Sabe-se que cerca de 90% dos americanos têm ar condicionado, que é mais do que qualquer país, exceto o Japão. Cerca de 70% têm AC central.

Uma sondagem do National Opinion Research Center, no ano passado, perguntou àqueles que tinham AC central a que temperaturas estavam os seus termóstatos durante o dia e à noite. Durante o dia, a resposta mais popular foi nos 22 graus Celsius. Durante a noite, a resposta mais popular foi 22 graus Celsius.

Há uma grande variedade nos dados, com algumas pessoas a descerem aos 12,7 graus Celsius e algumas a chegar aos 24,4 graus. Na verdade, 13% de todos os que têm AC central disseram que dormiam a uma temperatura de 19,4 graus Celsius ou menos durante o verão. Cerca de 40% a 45% das pessoas indicaram que mantinham os termóstatos acima dos 22 graus Celsius durante o dia e à noite.

O que a maioria dos americanos concorda é que ter ar condicionado é preferível a não ter. Uma sondagem da CBS News de 2019 perguntou se os americanos preferiam ter as janelas abertas ou as janelas fechadas com o AC durante um dia quente de verão. A resposta vencedora, claro, foi a das janelas fechadas com o AC, 65% das pessoas, em comparação com os 30% que disseram que preferiam as janelas abertas.

3. Não vai de férias este fim de semana? Eu também não

Neste fim de semana do Memorial Day, espera-se que cerca de 40 milhões de americanos viajem de férias, de acordo com a AAA. A maioria dessas pessoas (cerca de 35 milhões) espera viajar de carro. Isso significa que a maioria dos americanos não vai viajar este fim-de-semana.

No entanto, a maioria dos americanos parece querer tirar umas férias este verão. Uma sondagem da Washington Post-Schar School realizada em abril e maio concluiu que 72% dos americanos planeiam tirar férias fora de casa este verão, embora apenas 40% digam que vão indubitavelmente.

As maiores divisões em saber se alguém vai de férias são, talvez não surpreendentemente, idade e rendimentos. Os menores de 35 anos (82%) dizem que são muito mais propensos a dizer que planeiam tirar férias fora de casa do que aqueles que têm 65 ou mais anos (60%). Aqueles que ganham $100.000 ou mais são mais propensos a dizer que vão viajar (87%) do que aqueles que ganham menos de $50.000 por ano (59%).

Os viajantes passam por um túnel através de uma paisagem deslumbrante perto do Parque Nacional Bryce Canyon, no Utah.

Se as pessoas acabarem por não viajar de férias, será por causa dos preços. Os preços da gasolina, voos, hotéis e alojamento foram considerados fatores muito mais importantes para fazer planos de férias de verão do que perceber a melhor altura ou medo do coronavírus.

4. A maioria das pessoas só quer descontrair durante o verão

Se o verão é conhecido por ser época de férias, então o que queremos fazer nessas férias? Bem, parece que a maioria de nós só quer preguiçar.

A mesma sondagem do Washington Post concluiu que 76% dos americanos disseram que relaxar era algo de que gostavam de fazer nas férias. Em seguida (e dentro da margem de erro desse resultado) comer em restaurantes (75%). Ir para a praia ou piscina ficou em terceiro lugar, com 65%.
Nenhuma outra opção atingiu a maioria.

Um dia na piscina é sempre uma opção de verão, mesmo para aqueles que não querem gastar muita energia.

Na verdade, parece que os americanos não querem gastar muita energia nos meses de verão. Outras sondagens indicam que os americanos são muito menos propensos a praticar atividades atléticas como desporto ou corrida do que simplesmente desfrutar de uma refeição durante as férias de verão.

5. As férias de verão terminam em vários pontos diferentes

Por muito depressa que o verão tenha começado, lamento informá-lo que terminará igualmente depressa. Quando era criança, o Dia do Trabalho (1.ª segunda-feira de setembro) marcava esse ponto. Era quando a escola, para meu ódio eterno, recomeçava. As sondagens mostram que mais pessoas pensam que o Dia do Trabalho marca o fim do verão do que o equinócio de outono.

O que é interessante é que este é um tipo de ponto de vista centrado no Atlântico médio e norte. Um estudo de 2019 do Pew Research Center descobriu que apenas 23% dos estudantes americanos voltam à escola depois do Dia do Trabalho. Em Nova Jérsia, Nova Iorque e Pensilvânia, mais de 80% dos distritos escolares estudados voltaram à escola depois do Dia do Trabalho.

Nesse ano, 2% dos alunos de todo o país voltaram à escola até 2 de agosto. Quase metade (43%) estava de volta à escola em meados de agosto. Isto incluía a maioria dos estudantes no interior sul (isto é, Alabama, Arkansas, Kentucky, Louisiana, Mississippi, Oklahoma, Tennessee e Texas).

Isto pode explicar porque sempre senti que os anúncios de regresso às aulas eram exibidos muito cedo no verão. Acontece que para muitas crianças, o verão simplesmente acabava mais cedo.

Claro que provavelmente não precisamos que os anúncios vão para o ar no final de maio, como aconteceu nos últimos anos. Devíamos dar descanso às crianças.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Estilo de Vida

Mais Estilo de Vida

Na SELFIE

Patrocinados