Venezuela "totalmente preparada" para normalizar relações com EUA

Agência Lusa , AM
2 jan, 06:56
Nicolas Maduro (EPA/Rayner Pena R.)

Governo de Maduro tinha suspendido as relações com os Estados Unidos em 2019, quando a administração norte-americana de Donald Trump reconheceu o opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela

A Venezuela está "totalmente preparada" para normalizar as relações com os Estados Unidos, que cessaram em 2019, disse no domingo o presidente Nicolás Maduro.

"A Venezuela está pronta, totalmente pronta, para avançar para um processo de normalização das relações diplomáticas, consulares e políticas com este governo dos EUA e com aqueles que possam chegar depois", disse Maduro numa entrevista ao canal Telesur, transmitida pela televisão estatal venezuelana.

O governo de Maduro tinha suspendido as relações com os Estados Unidos em 2019, quando a administração norte-americana de Donald Trump reconheceu o opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. Numa tentativa de retirar Maduro do poder, a administração norte-americana adotou sanções contra Caracas, incluindo um embargo ao petróleo venezuelano.

Embora o atual presidente dos EUA, Joe Biden, continue formalmente a não reconhecer Maduro como presidente da Venezuela, considerando as eleições de 2018 fraudulentas, a crise petrolífera causada pela guerra na Ucrânia levou a um reatar das relações.

A Casa Branca enviou emissários a Caracas em 2022 para encetarem negociações e aliviou as sanções contra a Venezuela após um avanço nas conversações entre o regime e a oposição, que permitiram inclusive que o gigante petrolífero Chevron passe a operar no país latino-americano durante os próximos seis meses.

"Estamos prontos para o diálogo ao mais alto nível, para relações de respeito, e espero que um raio de luz chegue (...) para que eles virem a página, deixem de lado esta política extremista, e cheguem a políticas mais pragmáticas em relação à Venezuela", disse Maduro.

O presidente venezuelano também afirmou que "as coisas estão a correr bem" com a União Europeia e que um "diálogo permanente" está a decorrer com o chefe da diplomacia dos 27, Josep Borrell.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados