Varíola dos macacos: Espanha vai avançar para a compra de milhares de vacinas

19 mai, 14:35
Varíola dos macacos (CDC)

Vacinas aprovadas são contra a varíola comum, mas os especialistas acreditam que podem ter um efeito atenuante na doença que agora chega à Europa

O Ministério da Saúde de Espanha está a ultimar os detalhes para iniciar a compra de milhares de doses da vacina contra a varíola comum, que também se revelou útil no combate à varíola dos macacos, doença que surgiu na Europa nos últimos dias. Espanha (sete casos), tal como Portugal (14 casos), são alguns dos países que já confirmaram infeções, sendo que esta é a primeira vez que detetam casos da doença.

Não havendo nenhuma vacina aprovada para esta doença em específico, refere o El País que aquela é a solução encontrada pelo governo espanhol para acautelar um eventual surto.

As vacinas encomendadas por Espanha não serão para distribuição generalizada, mas apenas para os contactos de casos confirmados com a doença. É aquilo a que os espanhóis chamam a “estratégia dos anéis”, e que foi eficaz para controlar um surto deste vírus em 1977. O objetivo passa por conter o surto já existente, numa altura em que, para além dos sete casos confirmados, Espanha tem ainda outros 24 doentes com suspeita de infeção. Todos os casos suspeitos se situam na Comunidade de Madrid, havendo ainda um outro na Grande Canária.

A vacina que Espanha pretende encomendar é a Imvanex, desenvolvida pelo laboratório dinamarquês Bavarian Nordik. Foi autorizada pela Agência Europeia do Medicamento em 2013 e destina-se à varíola tradicional, considerada erradicada desde 1980. Por isso mesmo, explicam ao El País fontes relacionadas com o processo de aquisição, “a utilização em Espanha seria feita fora da indicação, ainda que existam evidências suficientes sobre a segurança e eficácia porque se trata de um vírus do mesmo género”, os Ortopoxvírus.

Nos Estados Unidos, por exemplo, onde a vacina é comercializada pela Jynneos, o produto está autorizado para as duas doenças. De resto, quando foi identificado um surto de varíola dos macacos no país, em 2003, as autoridades de saúde avançaram para a vacinação de 30 pessoas.

A estratégia de Espanha segue a do Reino Unido, que também começou a armazenar milhares de vacinas, numa altura em que já tem confirmados nove casos.

Apesar de a Agência Europeia do Medicamento não ter aprovado a vacina para a varíola dos macacos, o Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças recomendou a utilização. “Se os países tiverem vacinas contra a varíola [tradicional], devem considerar a vacinação dos contactos de alto risco”, pode ler-se num comunicado emitido esta quinta-feira.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados