Uma vacina anual para a covid-19 e para a gripe? Está nos planos da Moderna, "é tal como um iPhone"

11 ago, 21:50
Vacina Moderna

O diretor-executivo da empresa norte-americana estabelece uma analogia entre a aquisição de "um novo iPhone todos os meses de setembro" e uma dose de reforço por ano, destinada a combater os vírus mais comuns em circulação

Num futuro não muito distante, o cenário de vacinação contra a covid-19 pode vir a mudar. Em vez de várias doses de reforço com meses de intervalo, destinadas a apenas um vírus ou estirpe, a farmacêutica Moderna planeia desenvolver uma única vacina anual com capacidade de combater os vírus respiratórios mais comuns.

A ideia foi anunciada pelo diretor-executivo da Moderna, Stéphane Bancel, em entrevista exclusiva à CNN Business. Num panorama em que continuam a surgir novas estirpes e linhagens do SARS-Cov-2, a empresa de biotecnologia perspetiva uma maior comodidade dos consumidores com um produto combinado que cubra uma enorme diversidade viral e possibilite uma única aplicação por ano.

"Muitos de nós compramos um novo iPhone todos os meses de setembro, e recebemos novas aplicações e aplicações melhoradas. E é exatamente essa a ideia: receber a melhor ciência do momento para nos proteger das estirpes a circular", explica o empresário francês. Numa única dose anual, os consumidores receberiam anticorpos destinados a diferentes vírus respiratórios como o SARS-CoV-2, o Influenza (vírus da gripe) e o VSR (vírus sincicial respiratório). "Combinamos todas estas coisas e providenciamos às pessoas uma dose de reforço anual. Uma única dose, e depois não têm de se preocupar com o inverno".

Para quando esta vacina?

A ideia parece tão promissora quanto ambiciosa. O diretor-executivo da Moderna reconhece que a ideia exigirá "alguns anos" até poder ser implementada em todo o mundo, estabelecendo uma janela temporal de "três a cinco anos". E acrescenta: tal como os iPhones, também as vacinas estão sujeitas a uma revisão constante, pelo que a versão original poderá não ser imediatamente "incrível". 

"Não se tem logo uma câmara incrível, tudo incrível, da primeira vez que se compra um iPhone, mas dispomos logo de bastantes funcionalidades". O mesmo aconteceria com a vacina idealizada pela Moderna. "É tal como um iPhone. Todos os anos receberemos um produto melhorado que nos protegerá de todos os vírus em circulação, e com cada vez maior cobertura". 

Stéphane Bancel, tornado bilionário após o desenvolvimento de uma das mais bem sucedidas vacinas contra a covid-19, antecipa ainda que alguns países poderão ter acesso a esta tecnologia mais cedo do que outros. "Consigo imaginar alguns países em 2023 a começar a combater o vírus da gripe e da covid numa única dose", afirma. "Outros países em 2024". 

Para além desta dose anual de reforço, a Moderna tem mais de 40 outros produtos ainda em fase de desenvolvimento. Entre estes tratamentos, incluem-se uma potencial vacina contra a Monkeypox - "ainda em fase de laboratório" - e uma vacina personalizada de mRNA contra o cancro, que Bancel espera ver aprovada no espaço de cerca de dois anos. 

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados