Ómicron pode ser dominante na União Europeia já em janeiro

15 dez 2021, 09:32
A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen

Presidente da Comissão Europeia confessa-se “preocupada” com a nova variante

Ursula von der Leyen admitiu esta quarta-feira a possibilidade da variante Ómicron ser dominante na União Europeia já a meio de janeiro.

A presidente da Comissão Europeia, no entanto, está confiante que o bloco dos 27 tem a “força e os meios” para enfrentar a nova ameaça, apesar de lamentar o facto de a época festiva ser novamente marcada por um pico de infeções.

“Como muitos de vós, estou triste por, mais uma vez, o Natal ser assombrado pela pandemia. Temos visto um aumentar do número de infetados, uma maior pressão nos hospitais e, infelizmente, um aumento do número de mortes”, afirmou.

Apesar de, segundo von der Leyen, este aumento de casos se dever “quase exclusivamente” à variante Delta, a presidente da Comissão Europeia confessou preocupação com a nova ameaça.

“Estou preocupada com a nova variante Ómicron, que parece ser mais contagiosa”, declarou.

Contudo, von der Leyen realça que mais de 300 milhões de cidadãos da União Europeia têm a vacinação completa, o que corresponde a dois terços da população, e que cerca de 62 milhões já receberam a terceira dose.

“Os primeiros dados sobre a nova variante mostram-nos que as três doses são a melhor proteção contra a Ómicron”, adiantou a alemã.

A Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em mais de 60 países de todos os continentes, incluindo Portugal, onde já foram registados 69 casos.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados