Doentes nas urgências vão poder recusar ser encaminhados para centros de saúde

3 ago, 07:27
Saúde (Foto Cláudia Lima da Costa)

REVISTA DE IMPRENSA. Circular normativa da Administração Central do Sistema de Saúde determina que doentes pouco urgentes ou não urgentes possam ser encaminhados para os centros de saúde. Mas só se estes aceitarem

Os doentes que se dirijam às urgências e sejam triados como pouco urgentes (pulseira verde) ou não urgentes (azul) vão poder ser encaminhados para os centros de saúde, onde terão de ser atendidos no prazo máximo de 24 horas, de acordo com circular normativa da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) em vigor desde o final da semana passada.

Segundo o jornal Público, a norma estipula ainda que essa transferência só poderá acontecer com o aval do doente, ou seja, o doente só será encaminhado para o centro de saúde caso aceite ser visto por um médico noutro local. 

A circular normativa esclarece ainda que deve ser definido pelos hospitais públicos, em conjunto com os agrupamentos dos centros de saúde, “protocolos administrativos de referenciação” dos doentes para centros de saúde ou para “respostas hospitalares programadas”

O objetivo desta medida, que tem esbarrado no desinteresse dos doentes em ser transferidos, é retirar "pressão dos serviços de urgência", muitas vezes sobrecarregados por "doentes não urgentes".

Segundo o jornal, que cita a norma da ACSS, de fora desta medida ficam todos os doentes transportados em ambulância após indicação dos Centros de Orientação de Doentes Urgentes, os que forem encaminhados pelo médico, com uma carta, e os que forem referenciados pela Linha SNS24.

País

Mais País

Patrocinados