União Europeia chega a acordo sobre cortes no consumo de eletricidade e taxas sobre empresas de energia

30 set, 10:41
Presidência portuguesa da UE

Os ministros da Energia da União Europeia chegaram esta sexta-feira a acordo, em Bruxelas, sobre uma intervenção de emergência face à escalada dos preços na energia

Os estados-membros da União Europeia (UE) chegaram esta sexta-feira a acordo sobre as medidas para mitigar a subida dos preços da eletricidade, avançou a presidência checa da UE, citada pela Reuters. 

Segundo a publicação, o acordo foi alcançado sobre "redução obrigatória da procura pela eletricidade", "limite às receitas das empresas produtoras de eletricidade" e a "contribuição solidária de produtores de combustíveis fósseis".

O bloco de 27 países iniciou negociações na manhã desta sexta-feira para aquele que é o próximo passo da UE para conter a crise de preços, que muitos países querem ter um tecto amplo para o preço da gasolina, embora outros -  nomeadamente a Alemanha - continuam a ser contra.
 
"Todas essas medidas temporárias estão muito bem, mas para encontrar a solução para ajudar os nossos cidadãos nesta crise energética, é necessário limitar o preço do gás", afirmou o ministro da Economia croata, Davor Filipovic, à chegada à reunião.

Um total de quinze países, incluindo França, Itália e Polónia, pediu esta semana a Bruxelas que propusesse um preço máximo para todas as transações de gás de forma a conter a inflação.
 
O limite deve ser fixado num nível "alto e flexível o suficiente para permitir que a Europa atraia os recursos necessários", afirmaram a Bélgica, Grécia, Polónia e Itália numa proposta conjunta à qual a Reuters teve acesso na quinta-feira. 
 
Os países contestaram também a afirmação da Comissão Europeia que um amplo limite ao preço do gás exigiria "recursos financeiros significativos" para
financiar compras de emergência de gás.
 

 

Economia

Mais Economia

Patrocinados