Zelensky volta a pedir armamento pesado, e depressa, porque a Rússia está a destruir todo o Donbass

23 jun, 04:17
Volodymyr Zelensky (AP Photo/Natacha Pisarenko)

A queda de Lysychansk poderá estar por dias, e os ataques com drones ucranianos estão a tornar-se menos eficazes. Zelensky tem pressa em receber de armamento pesado, antes que o Kremlin concretize a destruição de todo o Donbass

Volodymyr Zelensky acusou a Rússia de estar a "destruir todo o Donbass, passo a passo", e voltou a apelar aos aliados ocidentais para que enviem o armamento pesado de que a Ucrânia necessita - e que o façam depressa, antes da destruição total de uma parte do país.

O alerta, e o apelo, foram feitos na noite passada, na habitual mensagem diária de Zelensky ao país, por vídeo. As palavras do presidente ucraniano sublinharam a dificuldade que as suas forças têm enfrentado em Lugansk e no Donetsk perante uma renovada ofensiva das tropas russas, que estão a ganhar terreno de forma sustentada, embora lenta.

Quase à mesma hora a que o vídeo de Zelensky era divulgado, o think tank norte-americano Instituto para o Estudo da Guerra (ISW nas iniciais inglesas) admitia que "nos próximos dias" a Rússia poderá controlar totalmente a cidade de Lysychansk. E a agência noticiosa Tass citou separatistas pró-Moscovo como tendo capturado a maior parte de Vovchoyarivka, uma aldeia a cerca de 12 km a sudoeste de Lysychansk - a Reuters, que citou a reivindicação dos separatistas, não conseguiu confirmar a sua veracidade, mas escreveu que, se for assim, Lysychansk estará em maior risco de ficar isolada e à mercê do avanço invasor.

Segundo Zelensky, os ataques persistentes da força aérea e da artilharia russa no Donbass têm por objetivo destruir toda a região. "Houve ataques massivos de artilharia no Donbass. O objetivo do ocupante aqui é inalterado, eles querem destruir todo o Donbass passo a passo", disse o presidente ucraniano.

Só uma renovada capacidade militar por parte da Ucrânia na linha da frente poderá deter este projeto do Kremlin, avisou Zelensky. "Temos de libertar a nossa terra e alcançar a vitória, mas mais rapidamente, muito mais rapidamente", disse o líder ucraniano na mensagem em vídeo divulgada ao início desta quinta-feira. Mas para isso, reiterou os pedidos de armas maiores e mais rápidas.

"É por isso que repetidamente enfatizamos a necessidade de acelerar as entregas de armas à Ucrânia. O que é rapidamente necessário é paridade no campo de batalha, a fim de travar esta armada diabólica e empurrá-la para além das fronteiras da Ucrânia".

Também ontem, o ISW deu conta de que uma das principais táticas da Ucrânia contra os russos está a perder a sua eficácia inicial. O reforço dos sistemas russos de defesa aérea no Leste da Ucrânia está a limitar cada vez mais os ataques com drones ucranianos, o que estará a minar uma das mais importantes ferramentas da Ucrânia contra os invasores.

Responsáveis militares ucranianos admitem que "as forças ucranianas travaram em grande parte a utilização de drones Bayraktar turcos, que foram utilizados com grande efeito no início da guerra, devido à melhoria das capacidades de defesa aérea russas". As mesmas fontes, citadas pelo ISW, mostram-se também preocupadas com o facto de os drones de ataque Gray Eagle, fornecidos pelos EUA, estarem a ser abatidos com maior frequência pela defesa aérea russa no Donbass.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados