Zelensky avisa a Rússia que terá de devolver todo o território que ocupou, incluindo a Crimeia

25 mai, 05:03
Rússia intensifica ataques no Donbass e Zelensky admite: "A situação é extremamente difícil"

Na mensagem ao país em que assinalou três meses de guerra, presidente ucraniano fez balanço das perdas e da destruição no seu país, mas também das localidades que têm sido recuperadas. Enumerou as muitas baixas do lado russo, e ironizou: "Eles querem encobrir isso com a mentira de que não estão a lutar com a força máxima?"

Volodymyr Zelensky avisou na noite passada que a Rússia terá de devolver todos os territórios da Ucrânia que ocupou ilegalmente, incluindo a Crimeia, que Moscovo invadiu em 2014.

No seu discurso noturno diário, que esta terça-feira assinalou três meses de guerra - ou "três meses de resistência ucraniana", que está a surpreender o mundo todo, segundo Zelensky - o presidente da Ucrânia fez o balanço das vítimas e da destruição, mas também das vitórias que o seu país tem conseguido, conforme consegue retomar povoações e cidades que haviam sido invadidas pelos russos.

Reagindo ao anúncio do Kremlin de que a ofensiva estará, agora, deliberadamente numa fase de abrandamento, Zelensky notou que, após três meses em que não conseguiu destruir a Ucrânia, o regime de Putin não consegue melhor do que alegar que falhou porque quis. "Quase 30 mil soldados russos foram mortos, mais de 200 aviões foram abatidos, milhares de tanques estão perdidos", e "eles querem encobrir isso com a mentira de que não estão a lutar com a força máxima?", ironizou Zelensky.

O presidente ucraniano avisou que todo o território soberano da Ucrânia terá de ser devolvido. Considerando que a invasão da Crimeia, em 2014, foi o primeiro de vários erros de Moscovo que acabarão por ditar o "enfraquecimento histórico" da Rússia, Zelensky afirmou que "é claro que os ocupantes terão de deixar a Crimeia, assim como Kherson, Melitopol, Enerhodar, Mariupol, e todas as outras cidades e comunidades onde [os russos] ainda fingem ser os proprietários. Eles não serão definitivamente os proprietários", disse Zelensky num vídeo de sete minutos.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados