"Quantas mais têm de morrer?". Mulher de Zelensky conta a história de crianças que perderam a vida na guerra

6 mar, 17:08
Olena Zelenska, primeira-dama da Ucrânia. (Reprodução Instagram)

Numa publicação feita no Facebook, Olena Zelenska, esposa de Volodymyr Zelensky, relatou a história de algumas crianças que perderam a vida na guerra que assola a Ucrânia há 11 dias

“Os ocupantes estão a matar as crianças ucranianas. Consciente e cinicamente”. É desta forma que começa a publicação feita no Facebook por Olena Zelenska, primeira-dama ucraniana.

Num longo texto, a esposa do presidente Volodymyr Zelensky conta a história de algumas crianças que perderam a vida à boleia das investidas russas, numa guerra que assola a Ucrânia há 11 dias.

“Sofia, 6 anos. Ela, o seu irmão de um ano e meio, a mãe, a avó e o avô foram baleados no carro”, relata, dando conta de que esta família estava a tentar deixar Nowa Kachowka. Acabaram por morrer numa “ofensiva pelas tropas russas”.

E não se fica por aqui nas histórias. “As nossas crianças. Alisa, da cidade ucraniana de Okhtyrka. Ela não envelheceu mais de 8 anos. Morreu durante o tiroteio juntamente com o avô, que estava a tentar protegê-la com o seu próprio corpo. Polina de Kiev. Ela morreu junto dos seus pais e do irmão durante um tiroteio nas ruas da capital. A irmã dela está em estado crítico”.

Num discurso cru, Olena Zelenska conta ainda a história de Arsenij 14 anos. Uma parte da arma “acertou na cabeça do rapaz”. Segundo Olena, a tia da criança “foi morta e os seus pais mal sobreviveram ao incêndio enquanto tentavam recuperar o corpo do seu filho”.

“Gravemente ferido pelo disparo do rocket. Kirill, de Mariupol, de 18 meses, ainda foi hospitalizado”, mas o desfecho não foi o desejado. 

“Tenho que denunciar isto. Pelo menos 38 crianças já morreram na Ucrânia. E esse número pode continuar a aumentar neste momento devido à invasão de cidades pacíficas! Quando as pessoas na Rússia dizem que não estão em guerra com a população civil, mostrem-lhes estas fotos! Essas são as caras das crianças que nunca crescerão”, escreve.

Quantas mais crianças têm de morrer para que as tropas russas parem de bombardear e os corredores humanitários funcionem? Quanto mais sangue precisa ser derramado e muitas pessoas precisam morrer à fome para que as tropas russas parem de destruir veículos pacíficos e realizem missões humanitárias?”, questiona Olena Zelenska na sua publicação feita na rede social. 

“Tal corredor é atualmente necessário nas cidades mais intensas da Ucrânia. Centenas de crianças podem morrer lá nas caves sem comida ou cuidados médicos. Estou sem contacto com eles há uma semana. Os ocupantes estão a balear em famílias inteiras e voluntários enquanto tentam sair ou chegar à cidade”, frisa a primeira-dama.

No final do texto, que também partilhou no Instagram, Olena Zelenska apela aos meios de comunicação “honestos deste mundo” que relatem o que realmente está a acontecer na Ucrânia. “Invasores russos estão a matar crianças. E fazem de propósito, disparam para as vítimas e não permitem ajuda humanitária”.

 

“Mostrem isto também às mães russas. Elas deviam saber o que os filhos estão a fazer na Ucrânia. Mostrem estas fotos às mulheres russas. São os maridos, irmãos, conterrâneos, que matam crianças e talvez até tenham as suas! Quem concorda silenciosamente com este crime é pessoalmente responsável pela morte de todas as crianças ucranianas”, lê-se na publicar.

No final do texto, uma mensagem para os estados da NATO: “fechem o espaço aéreo para aviões russos! Salve nossas crianças, para que as suas não morram amanhã!”

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados