Queda de helicóptero na região de Kiev faz 14 mortos. Três das vítimas pertenciam ao governo ucraniano

Andreia Miranda | Sérgio Furtado , notícia atualizada às 14:00
18 jan, 08:55

Acidente fez ainda 30 feridos, entre os quais 12 crianças

A queda de um helicóptero, esta quarta-feira de manhã, em Brovary, na região de Kiev, fez, pelo menos, 14 mortos - inicialmente Kiev avançou 18 óbitos -, entre os quais o ministro do Interior, Denis Monastyrsky, confirmou fonte do governo ucraniano. O acidente fez ainda 30 feridos, entre os quais 12 crianças, de acordo com Kyrylo Tymoshenko, vice-chefe do gabinete presidencial.  Até ao momento, não se sabe quais terão sido as causas do acidente.

Também o vice-ministro Yevhen Yenin e o secretário de Estado Yurii Lubkovych, que seguiam a bordo do helicóptero, morreram no acidente. 

Para além dos três membros do governo, entre as vítimas mortais há ainda três crianças que estariam no jardim de infância junto ao qual caiu a aeronave. Em comunicado, o chefe da Polícia Nacional da Ucrânia, Ihor Klymenko, revelou ainda que nove das vítimas seguiam a bordo da aeronave.

Numa partilha através do Telegram, Volodymyr Zelensky prestou homenagem “aos verdadeiros patriotas da Ucrânia” que morreram devido à queda de um helicóptero esta manhã.

O presidente ucraniano lembrou que pelo menos três crianças terão morrido, depois de a aeronave ter caído nos arredores de um jardim de infância, classificando o incidente como “uma dor indescritível”.

“Que descansem em paz! Que todas as vidas que foram tiradas nesta manhã negra descansem em paz!”, culmina Volodymyr Zelensky.

Também no Telegram, Anton Gerashchenko, conselheiro da presidência ucraniana, lamentou a morte dos membros do governo. "Os meus colegas, os meus amigos. Que perda trágica. As mais sinceras condolências às suas famílias".

Segundo a CNN, Kyrylo Tymoshenko revelou aos jornalistas no local que nove das 16 vítimas eram locais que estavam "a levar as crianças à creche".

No entanto, o número de vítimas ainda pode aumentar. Oleksiy Kuleba, chefe da administração militar de Kiev, também esteve no local e garantiu aos jornalistas que "não há informações sobre crianças desaparecidas". 

"A identificação está a decorrer. Os pais estão a chegar e as listas estão a ser feita", adiantou.

Em comunicado, os Serviços de Emergência revelaram que seguiam seis membros da equipa do ministério do Interior a bordo do helicóptero que caiu, esta quarta-feira de manhã em Brovary. 

"Estavam nove pessoas a bordo: seis membros da equipa operacional do ministério do Interior, incluindo o líder do ministério, assim como três membros da equipa dos Serviços de Emergência", lê-se no comunicado.

Segundo a mesma nota, o acidente aconteceu às 8:20 e causou um incêndio.

"Às 08:20 na cidade de Brovary, na região de Kiev, como resultado da queda de um helicóptero DSNS ES-225 helicopter (número de bordo 54), o edifício do Serviço de Emergência Nacional foi danificado pelo incêndio subsequente, estilhaçando os vidros de um edifício residencial de catorze andares e 3 carros. Às 09:06, o incêndio no edifício foi contido numa área de 500 metros quadrados, e às 09:28 da manhã foi extinto".

A queda do helicóptero acontece três dias depois do ataque a Dnipro que fez 45 mortos, entre os quais seis crianças. Pelo menos 19 pessoas estão ainda desaparecidas.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados