Saiba tudo sobre o Euro aqui

França proíbe voos de curta distância nas situações em que há comboios

CNN , Saskya Vandoorne
24 mai 2023, 08:24
Comboio parado na estação ferroviária de Nantes, França. 6 abril 2023. Foto: AP Photo/Jeremias Gonzalez

Na prática, esta medida só afeta três rotas

A proibição de voos domésticos de curta distância para viagens que podem ser feitas em duas horas e meia de comboio foi promulgada esta terça-feira em França.

Clement Beaune, Ministro dos Transportes francês, saudou o decreto.

"Trata-se de uma etapa essencial e de um forte símbolo na política de redução das emissões de gases com efeito de estufa", declarou Beaune em comunicado.

“Enquanto lutamos incansavelmente para descarbonizar os nossos estilos de vida, como podemos justificar a utilização do avião entre as grandes cidades que beneficiam de ligações regulares, rápidas e eficazes por comboio?”

Apenas três rotas foram suprimidas: as que ligam o aeroporto de Paris-Orly às cidades de Bordéus, Nantes e Lyon. Os voos de ligação com outros destinos não serão afetados.

Para que a proibição se aplique, a União Europeia insistiu que a rota aérea em questão deve ter uma alternativa ferroviária de alta velocidade que permita viajar entre as duas cidades em menos de duas horas e meia. Além disso, deve haver um número suficiente de comboios que partam cedo ou tarde para permitir que os viajantes passem pelo menos oito horas no destino.

Alguns criticaram o Presidente francês Emmanuel Macron por ter reduzido as propostas do seu próprio painel ambiental, que tinha recomendado a proibição de voos quando a viagem de comboio demorasse menos de quatro horas.

Os críticos desta medida sublinharam que as linhas de comboios de alta velocidade já estavam a afastar os passageiros das companhias aéreas e que a proibição é uma forma de falar sobre as preocupações com o clima, sem fazer realmente nada para as resolver.

"Ninguém se deixará enganar por esta medida: os passageiros estão naturalmente a afastar-se dos voos nestas rotas", afirmou no Twitter Guillaume Schmid, antigo vice-presidente do sindicato dos pilotos da Air France.

"A proibição de voos em França é uma medida simbólica, mas terá muito pouco impacto na redução das emissões", afirmou Jo Dardenne, diretor de aviação do grupo que luta por transportes mais limpos Transport & Environment.

Este grupo estima que as três rotas afetadas pela proibição representam apenas 0,3% das emissões produzidas pelos voos que descolam da França continental e 3% das emissões dos voos domésticos do país (contando apenas os voos domésticos continentais).

Clima

Mais Clima

Patrocinados