Um terço dos trabalhadores por conta própria em Portugal está em risco de pobreza e exclusão social

22 set, 09:38
Dinheiro (Getty Images)

Roménia, Portugal e Estónia são os países que apresentam as percentagens mais elevadas

No ano passado, cerca de 23,6% dos trabalhadores independentes com 18 anos ou mais na União Europeia (UE) estavam em risco de pobreza e exclusão social. De acordo com um relatório do Eurostat, isto representa um quarto de todos os trabalhadores por conta própria europeus. 

Roménia (70,8%), Portugal (32,4%) e Estónia (32,2%) são os países que, em 2021 e a nível nacional, apresentaram as percentagens mais elevadas. Tendo a Roménia registado a maior subida de 2020 para 2021: 5,1 pontos percentuais. Portugal aumentou em dois pontos percentuais de um ano para o outro. 

Na ponta oposta, e olhando para o gráfico do Eurostat, este mesmo indicador melhorou em pelo menos 11 países da União Europeia, com a Irlanda e a Hungria a registarem a maior diminuição de 2020 para 2021: -3,2 e -3,7 pontos percentuais, respetivamente. 

Trabalhadores por conta própria em risco de pobreza e exclusão social (Eurostat)
 

Comparando estes números com os de 2020 e olhando para a situação de atividade, os trabalhadores por conta própria foram o único grupo a registar uma deterioração da situação de pobreza, passando de 22,6% para 23,6%. 

No sentido contrário estão os desempregados, empregados e pensionistas. De 2020 para 2021, as taxas de risco de pobreza ou exclusão social diminuíram nestes três grupos em 1,6, 0,3 e 0,6, respetivamente. 

Pessoas em risco de pobreza e exclusão social em função do estado de atividade (Eurostat)

 

Economia

Mais Economia

Patrocinados