Sara Carreira: Ministério Público acusa Ivo Lucas e Cristina Branco de homicídio por negligência

11 dez 2021, 19:50

Tony Carreira recusou comentar para já a decisão e reserva para mais tarde uma tomada de posição pública. No relatório final do inquérito GNR, está descrito que a viatura seguia a 128 quilómetros por hora num piso escorregadio, no momento do acidente

PUB

Ministério Público acusa Ivo Lucas e a fadista Cristina Branco de homicídio por negligência, confirmou a CNN Portugal. Em causa, está o acidente que culminou na morte de Sara Carreira na A1.

Contactado pela CNN Portugal, Tony Carreira, pai da cantora, declarou que não pretende fazer qualquer comentário neste momento, mas reserva para mais tarde uma tomada de posição pública. O advogado do músico confirmou que a família já foi notificada da acusação.

PUB

Na passada quinta-feira, o Jornal de Notícias avançou que o relatório final do inquérito realizado pela GNR sobre o acidente, que já foi, aliás, entregue ao Ministério Público, concluiu que Ivo Lucas, namorado de Sara Carreira que conduzia a viatura no momento do acidente, seguia a 128 quilómetros por hora num piso escorregadio, uma velocidade que as autoridades consideraram excessiva tendo em conta as condições climatéricas na altura.

O mesmo relatório atribuiu ainda responsabilidades aos condutores dos dois veículos (onde se inclui a fadista Cristina Branco) que embateram antes do capotamento da viatura onde seguia Sara Carreira e Ivo Lucas, e que, segundo o documento, deveriam ter sinalizado o acidente. Ainda assim, é atribuída maior responsabilidade a Ivo Lucas, uma vez que ficou concluído que, na altura do choque, não estava a chover e havia visibilidade suficiente para evitar a colisão - como, aliás, aconteceu com outros veículos, que conseguiram passar pela zona do acidente e evitaram o embate.

PUB
PUB
PUB

Em dezembro de 2020, Sara Carreira morreu numa colisão que envolveu quatro veículos ligeiros e que ocorreu na autoestrada A1, junto à saída para o Cartaxo, no sentido Porto-Lisboa. O óbito foi declarado no local, registando-se ainda três feridos que foram transportados para o Hospital de Santarém. Ivo Lucas, que terá sido constituído arguido por homicídio negligente, arriscando uma pena de até cinco anos de prisão, ficou gravemente ferido, com uma fratura exposta no braço.

 

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados