Incêndio em Tomar ameaça habitações e espalhou-se para Abrantes (onde inspira maiores preocupações)

14 ago, 20:13
Incêndio em Tomar

Habitações dispersas pela mancha florestal são uma das preocupações dos bombeiros. Há a registar três feridos ligeiros. Fogo obrigou a evacuar uma praia fluvial e uma pecuária. Vento inspira cuidados na resposta no lado de Abrantes

O incêndio que começou a lavrar ao final da tarde deste domingo em Tomar está a ameaçar habitações, tendo passado para o concelho vizinho de Abrantes. A informação foi confirmada à CNN Portugal pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém.

Em causa estão habitações dispersas na floresta, junto ao rio Zêzere. “Os meios estão a ser posicionados, de forma a tentar fazer a máxima proteção possível às habitações”, explicou o comandante Filipe Regueira.

O incêndio, concretizou o responsável, desenvolveu-se em duas direções: uma do lado do rio e outra do lado de Abrantes. O fogo de Abrantes surgiu na sequência de várias projeções do incêndio de Tomar. Segundo o porta-voz, há diversos “pontos sensíveis”.

Pelas 21h00, o fogo que mais inspirava preocupações era o do lado de Abrantes. A CNN Portugal confirmou a existência de três feridos ligeiros, todos bombeiros. Dois tiveram de receber assistência por inalação de fumos e uma outra ficou com queimaduras ao defender uma habitação.

Ao início da noite, o fogo tinha três frentes ativas no concelho de Abrantes e “pelo menos duas frentes” em Tomar, disse ainda o comandante do CDOS de Santarém. Foram mobilizados 80 viaturas, 260 bombeiros e 10 meios aéreos. Filipe Regueira referiu que, dada a “violência e velocidade” do incêndio e o vento forte que se fazia sentir no local, não foi possível retirar populares das habitações. Os responsáveis optaram por manter as pessoas em casa.

Anabela Freitas, presidente da Câmara Municipal de Tomar, explicou depois à CNN Portugal que o aumento do vento é a grande preocupação dos operacionais. No lado de Tomar, adiantou, “a principal preocupação é dar o incêndio [como estando] em resolução, que ainda não está”. Houve, por isso, uma movimentação de meios para Abrantes, onde as chamas oferecem mais resistência.

“Tivemos de evacuar uma praia fluvial e uma pecuária. E temos registo de um barracão ardido”, adiantou a autarca, acrescentando que não há casas em perigo e elogiando a atuação dos meios aéreos para um controlo mais eficaz das chamas.

Pela meia-noite, o comandante distrital de Santarém, David Lobato, adiantava à CNN Portugal que ainda estavam ativas três frentes, com operacionais destacados para a defesa de duas aldeias, Maxial de Além e Fontes. O autarca de Abrantes, Manuel Valamatos, reforçou a expectativa de que as chamas acabem controladas durante a noite, elogiando o número de meios mobilizados.

O primeiro alerta foi dado às 17h36 na freguesia de Olalhas, pertencente a Tomar.

Os vídeos e fotografias que têm chegado à redação da CNN Portugal mostravam uma intensa mancha de fumo no local.  

País

Mais País

Patrocinados